19 de jan de 2011

Depois da tempestade vem a bonança - solidariedade

O caos causado pelas fortes chuvas no sudeste brasileiro parece ser notícia certa em todo começo de ano. A causa de tanto desastre vai além da ação de uma natureza perturbada. Ligeiramente - e já habitual - poderíamos apontar os possíveis culpados. Entretanto, seria delongo e inoportuno para esta postagem.

Devemos nos atentar, então, aos riscos à saúde. Os maiores cuidados estão relacionados à transmissão de doenças pela água como a leptospirose, hepatite A e a diarréia. Também é preciso atenção com os alimentos contaminados e animais venenosos que aparecem após serem carregados pelas enxurradas.

A ANVISA recomenda algumas medidas para se prevenir de doenças nessas situações:
  • Evitar o contato com a lama, pois ela pode estar contaminada com dejetos de animais, e outros causadores de doenças.
  • É conveniente o uso de luvas, botas ou mesmo sacos plásticos como proteção.
  • É recomendado ferver a água ou tratá-la com hipoclorito de sódio(adicionar 2 gotas para cada litro d’água). Depois da mistura, é preciso esperar 30 minutos antes de bebê-la.
  • É importante limpar e desinfetar os reservatórios de água, mesmo quando não atingidos pela enchente, já que a rede de fornecimento de água pode apresentar vazamentos e contaminar os reservatórios.
  • Quando as águas abaixarem será preciso retomar os cuidados com a prevenção da dengue.
  • Os alimentos que entraram em contato com a água da enchente não devem ser consumidos, mesmo que estejam em embalagem plástica fechada.
  • Nos casos de falta de energia, os alimentos que estavam refrigerados ou congelados, mesmo que não tenham entrado em contato com a água da chuva, não devem ser consumidos se apresentarem alteração de cor, cheiro ou consistência.
Apesar de tamanha tragédia os brasileiros ainda recolhem forças para ajudar uns aos outros. E com isso, o espírito de solidariedade alcança milhares de pessoas em todo o país. Embora tenhamos uma enorme vontade em colaborar com as vítimas, ainda somos mal orientados de que forma poderíamos servir ao próximo.

Seguem algumas dicas que podem ser úteis na prática solidária:
  • Antes de doar, informe-se, com a autoridade que está organizando a coleta, sobre quais são os itens mais necessários para aquela situação específica.
  • Se possível, leve em consideração os traços culturais e geográficos da população que vai receber sua doação.
  • Só doe medicamentos caso as autoridades públicas tenham solicitado.
  • Não doe medicamentos com o prazo de validade vencido, nem sobras de medicamentos que estejam abertos, especialmente os líquidos.
  • Não doe alimentos fora do prazo de validade. Para que sua doação chegue a tempo e as autoridades consigam organizar a logística de distribuição, é preciso que o alimento tenha, no mínimo, 3 meses de prazo de utilização, antes do vencimento.
  • Não doe alimentos perecíveis, ou seja, aqueles que se estragam em curto prazo, especialmente os congelados e resfriados.
  • Nos primeiros momentos que se seguem a uma tragédia, priorize a doação de alimentos que não necessitem de manipulação ou preparo. Lembre-se que pode haver falta d’água e de infra-estrutura básica para o preparo dos alimentos. Farinhas, barras, cereais em flocos, sucos industrializados, leite UHT (de caixinha, que não precisa ser fervido), sardinha ou atum em conserva, conservas de vegetais e frutas e água mineral estão entre os itens mais apropriados para se doar nesse momento.
  • Numa segunda etapa, em que as comunidades começam a se estabilizar, pode ser priorizada a doação de alimentos que, embora não sejam perecíveis, necessitam de preparo, como arroz, feijão e macarrão.

E alguns endereços em MG para entrega dos donativos:
  • Polícia Rodoviária Federal
  • Corpo de Bombeiros: 193
  • Hemominas: 155
  • Cruz Vermelha: Alameda Ezequiel Dias, 427 – Centro. (31) 3239-4200
  • Defesa Civil: (31)3915-0801 (31)3915-0998
  • Movimento das Donas de Casa: Rua Guajajaras, 40, 24º andar – Centro. (31) 327-1033 (08h as 18h)
  • Creci: Rua Carijós, 244, 10º andar – Centro. (31) 3271-6044

"A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana."
( Franz Kafka )

Autor: João Emanuel 



Nenhum comentário:

Postar um comentário